Cobra é encontrada em embalagem de brócolis em Santa Catarina

Espalhe para os amigos:

Uma moradora de Brusque (SC), no Vale do Itajaí, teve uma surpresa ao voltar do supermercado na noite de sábado (3). Após arrumar as compras, a mulher descobriu que, além das verduras e frutas, levou para casa uma cobra dentro de uma embalagem de brócolis. Ela gravou um vídeo contando o episódio.

As imagens, que viralizaram nas redes sociais, mostram o momento que a mulher encontra a cobra, de ao menos de 30 centímetros, dentro do recipiente de isopor envolto a um plástico transparente.

O supermercado Archer informou que a consumidora foi até o local, e a situação foi resolvida. De acordo com a gerente do departamento pessoal do estabelecimento, Luciane da Silva Mafra, a embalagem não foi manuseada e foi enviada ao produtor na segunda-feira (5) da forma como foi entregue pela cliente.

“Realmente aconteceu, esse caso foi verídico. A cliente veio fazer a devolução e ela entendeu que o caso foi resolvido”, disse. O animal estava vivo no momento da entrega ao produtor, de acordo com Luciane.

Apesar do susto da consumidora, o animal não apresenta perigo, segundo explicou o biólogo Tobias Kunz, especialista em répteis.

“É uma cobra que se alimenta de lesmas. Essas dormideiras têm hábito noturno e são bem lentas”, disse o biólogo.

“Pela imagem, me parece uma cobra jovem. Elas são bem inofensivas e é bem comum aparecerem nessas hortas e enroladas nos legumes”, disse.

Diferenças entre jararaca e dormideira

Apesar de gerar dúvida entre os leigos, há diferenças entre jararacas e dormideiras. De acordo com Kunz, as serpentes peçonhentas, como a jararaca, possuem glândulas especializadas localizadas lateralmente na cabeça. Elas também têm um orifício entre os os olhos e a narina, chamado de fosseta loreal.

“A gente vê logo de cara que é essa espécie [dormideira], mas as pessoas às vezes confundem”, explica o especialista que é um dos colaboradores do livro virtual “Ofidismo em Santa Catarina: identificação, prevenção de acidentes e primeiros socorros”.

Outra característica das cobras venenosas é a cabeça, que geralmente é mais larga que o pescoço e possui uma forma triangular.

Já os animais não-venenosos têm uma cabeça mais arredondada, sem ângulos agudos.

Jararaca e dormideira  — Foto: Ofidismo em Santa Catarina/ Reprodução NSC TV

Jararaca e dormideira — Foto: Ofidismo em Santa Catarina/ Reprodução NSC TV

O que fazer

 

Conforme o biólogo Alex Giordano Bergmann, quem encontrar um animal parecido deve evitar colocar as mãos ou se aproximar. A recomendação é para se afastar e chamar órgãos especializados para avaliar a situação.

“É para chamar a Polícia Ambiental ou o Corpo de Bombeiros. Eles conhecem os animais e sabem como retirar eles das casas”, comentou Alex.

Onde ligar

  • Entre em contato com os Bombeiros (193) ou com a Polícia Ambiental da sua cidade (190);
  • Em caso de acidente com serpente, entre em contato com o Samu (192), os Bombeiros (193) ou se dirija ao hospital público mais próximo;
  • Em caso de dúvidas ou orientações sobre procedimentos de primeiros socorros, ligue para o Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina (CIATox/SC), pelo telefone: 0800 643 5252.
Poste seu comentário no Facebook:
Facebook Comment

Deixe a sua opinião: