Cinco coisas a serem observadas na cerimônia do Grammy de domingo

Espalhe para os amigos:

A Acadêmia de Gravação, responsável pelo Grammy Awards, convidou os artistas mais influentes da indústria da música para se apresentarem em mais uma cerimônia forçada a se tornar virtual, no domingo (14), a fim de atrair uma audiênica maior.

Mulheres dominam a cena

Beyoncé lidera a premiação com nove indicações, apesar de não ter lançado álbum ano passado, seguida por Taylor Swift e Dua Lipa, com seis indicações cada.

Além disso, a cantora de blues/rock Brittany Howard – mais conhecida como a voz principal da banda Alabama Shakes – concorre em cinco categorias depois de lançar seu primeiro álbum solo, Jaime.

E, pela primeira vez, a categoria de Melhor Performance de Rock é composta exclusivamente por mulheres: Fiona Apple, Phoebe Bridgers, o grupo de irmãs Haim, Howard, Grace Potter e Big Thief.

Espera-se que a rapper Meghan Thee Stallion triunfe: ela foi indicada em quatro categorias, incluindo Melhor Revelação —onde seis dos oito indicados são mulheres.

Mea culpa para Beyoncé?

Com 79 indicações no total, Beyoncé é a artista feminina mais indicada da história do Grammy. Ela está empatada com Paul McCartney e tem apenas uma indicação a menos que seu marido, Jay-Z, e Quincy Jones.

Mas a cantora de 39 anos —cuja arte, mensagem, inovações de negócios e presença na cultura pop marcaram a indústria— perdeu repetidamente nas maiores categorias.

Depois de prometer por anos reconhecer mais diversidade na premiação, a Acadêmia pode pagar uma dívida a Beyoncé, que concorre nas categorias gravação e canção do ano com Black Parade e também recebeu indicações por sua colaboração com Megan Thee Stallion no remix de Savage.

No entanto, ainda não se sabe se Beyoncé vai participar da gala, virtualmente ou pessoalmente.

Performances pandêmicas

O evento, em sua maioria virtual, promete talentos de primeira linha, recrutados para tentar atrair telespectadores após um dos anos mais devastadores para a indústria.

Megan Thee Stallion e Cardi B se apresentarão na cerimônia, embora não se saiba se elas cantarão o polêmico hit de verão WAP —que Cardi B irá submeter para consideração ao Grammy no ano que vem.

Taylor Swift vai se apresentar na gala pela primeira vez desde 2016. Além delas se apresentam também Billie Eilish, vencedora das principais categorias no ano passado, Bad Bunny, Roddy Ricch, Dua Lipa, Post Malone e a popular banda sul-coreana BTS.

Raridades

Pouco menos de um mês após o fim de sua caótica candidatura presidencial, Kanye West foi indicado ao prêmio Grammy de 2021 em uma categoria longe do rap. O artista está agora na disputa de Melhor Álbum de Música Cristã Contemporânea em reconhecimento à sua ode evangélica Jesus Is King.

A categoria Melhor Álbum de Palavras Faladas, que tem Michelle e Barack Obama  entre os vencedores anteriores, este ano inclui os jornalistas Rachel Maddow e Ronan Farrow e o baixista Flea, do Red Hot Chili Peppers.

Vencedores póstumos

A premiação de 2021 inclui várias indicações póstumas, incluindo duas para o cantor e compositor John Prine, que morreu de complicações causadas pelo coronavírus em abril.

Leonard Cohen foi indicado ao prêmio de Melhor Álbum Folk por “Thanks for the Dance”, coletânea que seu filho finalizou em seu nome.

Já o rapper Pop Smoke, baleado e morto em Hollywood Hills em fevereiro de 2020, recebeu uma indicação de Melhor Performance de Rap por Dior. A categoria conta anda com outra indicação postuma: Nipsey Hussle com Deep Reverence, colaboração com Big Sean.

 

Deixe a sua opinião: