Autor do tema de abertura de Os Simpsons diz que a música trouxe estabilidade financeira para sua familia

Espalhe para os amigos:

Em uma divertida entrevista para a revista britânica Kerrang, o compositor Danny Elfman relembrou que, mesmo tendo feito dezenas de trilhas e discos, está ciente de que, provavelmente, ele sempre será lembrado por ter composto a música de abertura dos Simpsons, um tema que ele diz ter escrito sem maiores preocupações em poucas horas, simplesmente por achar que se tratava de um programa que não iria durar mais que meia dúzia de episódios.

Como se sabe, a animação está há mais de 30 anos no ar e não existe a menor intenção sair, mesmo com as oscilações da audiência, algo previsível para um show que já passou dos 700 episódios.

“Se eu morrer hoje, o meu túmulo terá um desenho do Homer falando “D’oh”, ou coisa parecida”, ele contou. “Eu passei apenas um dia com os Simpsons, sabe, eu fiz totalmente de brincadeira. Eu encontrei o Matt Groening, o criador da família amarela, vi o que eles estavam fazendo e achei que aquilo não iria durar mais que três episódios antes de ser cancelado. Mas eu não dei bola, aquilo parecia muito divertido e escrevi aquela peça musical no meu carro, enquanto voltava para casa e, chegando lá, gravei uma demo.”

Elfman diz que ele e as duas pessoas que cantaram as palavras “The Simpsons” no começo da música precisaram entrar para o sindicato dos atores unicamente por causa disso. “O que eu não podia imaginar é que aquelas três sílabas iriam garantir o meu plano de saúde e o de minha família para sempre”.

O músico então reflete: “É engraçado, eu me mato para fazer a trilha de um filme, e já fiz acho que 110 delas, sendo que 50 ou 60 sumiram em questão de segundos… aquelas 60 horas de música brutalmente concebida que simplesmente evapora são contrabalançadas por aquele dia que gastei com os Simpsons e que irão viver muito mais que eu.”

Danny está retornando ao mundo do pop/rock depois de um longo período em que ele se dedicou exclusivamente ao mundo das trilhas (em especial as feitas para os filmes de Tim Burton, os dois estão juntos na foto acima). “Big Mess”, lançado recentemente, é apenas o seu segundo disco solo em 37 anos, sendo que mesmo o primeiro é visto como um disco do Oingo Boingo, a banda que ele liderou de 1979 e 1994, e fez muito sucesso no Brasil com “Stay” e “Just Another Day”.

Veja a abertura original da série:

Deixe a sua opinião: