Após acidente que vitimou funcionária, rede de supermercados toma decisão polêmica

Espalhe para os amigos:

O trágico acidente de desmoronamento de prateleiras em um supermercado da rede Grupo Mateus, em São Luís, no Maranhão, na última sexta-feira (2) comoveu o país. O caso que segue em investigação do Ministério Público do Trabalho vitimou a jovem Elane de Oliveira Rodrigues, funcionária do estabelecimento, e deixou outros oito feridos.

Dias depois do ocorrido, o varejista Grupo Mateus, que administra a rede de supermercados no Maranhão e Piauí, tomou a decisão de entrar nas ações de mercado. O grupo já tinha o objetivo de entrar na oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) antes do trágico acidente. Os responsáveis chegaram a consultar a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para saber se seria necessário adiar os planos diante do ocorrido. No entanto, o acidente foi classificado como um caso isolado, não interferindo nas condições econômicas do grupo.

De acordo com fonte do Valor Investe, apesar da solidariedade para com as vítimas, o acidente acaba não mudando o cronograma do IPO do Grupo Mateus, que tem a sua precificação prevista para amanhã (08). O site informa que investidores chegaram a questionar o grupo sobre o acidente, mas a empresa citou que o caso foi isolado e que já está apurando as causas.

Pelo fato da gestão ser considerada organizada e apresentar bons números, o acidente não afeta o interesse dos investidores. No entanto, revisões de segurança de lojas, indenizações e outros fatores devem entrar em estudo de garantia.

Investigações

O acidente ocorrido no supermercado Mix Atacarejo Curva 90 está sendo investigado pelo Ministério Público do Trabalho do Maranhão (MP-MA). Peritos criminais já realizaram um perícia no local, que deve ajudar a identificar o que teria motivado o desabamento das prateleiras. O Grupo Mateus afirmou que está colaborando com as autoridades e dando todo o suporte às famílias atingidas pelo desabamento.

Deixe a sua opinião: